Fundação Aristides de Sousa Mendes

  • Aumentar o tamanho da fonte
  • Tamanho padrão da fonte
  • Diminuir tamanho da fonte
Atenção
  • EU e-Privacy Directive

    This website uses cookies to manage authentication, navigation, and other functions. By using our website, you agree that we can place these types of cookies on your device.

Home Aristides de Sousa Mendes

Biografia - Reabilitação

Indíce do artigo
Biografia
Processo Disciplinar
Reabilitação
Acto de Consciência
Todas as páginas

No seguimento da sua auto-defesa convicta, também os refugiados e os próprios filhos de Sousa Mendes continuaram a divulgar e a defender a sua actuação como Cônsul de Portugal em Bordéus, na fatídica semana de 17-23 de Junho de 1940, em que se disputava o futuro da França e da Europa em Bordéus.  Os depoimentos do Rabbi Chaim Krugger e de outros refugiados foram recolhidos e confirmados  pelo Yad Vashem, que reconheceu Aristides de Sousa Mendes como Justo entre as Nações, “Righteous Gentile”, em Outubro 1966.  Entretanto, o seu filho Sebastião Miguel, que acompanhou todo o drama, tinha publicado  um livro parcialmente romanceado com o titulo “Flight through Hell “ em que registou alguns dos principais eventos. A sua filha Joana redobrou-se a escrever cartas a várias entidades e ao próprio Salazar.Na

300_ver1m

California, o seu filho João Paulo recolheu assinaturas numa petição a favor da reabilitação que foi entregue ao governo português.  Finalmente, em Maio 1987, o Presidente Mário Soares confere-lhe a titulo póstumo, a Ordem da Liberdade, que entrega á sua filha Joana na Embaixada de Portugal, em Washington, na presença de numerosos descendentes e representantes das comunidades judaicas e portuguesas. Poucos dias depois, Aristides de Sousa Mendes é homenageado pelas comunidades portuguesas e judaicais em Newark, New Jersey.Em 1989, a Assembleia da República finalmente reparou a grave injustiça que lhe fora cometida, reeintegrando Aristides de Sousa Mendes no serviço diplomático por unanimidade e aclamação. As homenagens sucedem-se desde então.Homenagens, louvores e reconhecimentos (lista parcial) Em 1994, o presidente português Mário Soares desvela um busto em homenagem a Aristides de Sousa Mendes, bem como uma placa comemorativa na Rua 14 quai Louis-XVIII, o endereço do consulado de Portugal em Bordéus em 1940.Em1995, é-lhe concedida, a título póstumo, uma das mais altas condecorações nacionais, a Grã-Cruz da Ordem de Cristo e a Associação Sindical dos Diplomatas Portugueses (ASDP) cria um prémio anual com o seu nome.Em Novembro de 1998  Aristides de Sousa Mendes é homenageado no Parlamento Europeu em Strasbourg e, em 2000, nas Nações Unidas, em New York. Em 2004 comemorou-se o 50º aniversário da morte de Aristides de Sousa Mendes e foram celebradas missas e outras cerimónias religiosas e ecumémicas em honra ao seu Acto da Consciência em mais de 30 cidades em todos os continentes. Em 2007, Aristides de Sousa Mendes foi o terceiro mais votado entre os Grandes Portugueses de todos os tempos num programa de televisão da RTP.