Fundação Aristides de Sousa Mendes

  • Aumentar o tamanho da fonte
  • Tamanho padrão da fonte
  • Diminuir tamanho da fonte
Atenção
  • EU e-Privacy Directive

    This website uses cookies to manage authentication, navigation, and other functions. By using our website, you agree that we can place these types of cookies on your device.

Home Casa do Passal

A Casa

Indíce do artigo
A Casa
O projecto
Espólio
Donativos
Centro de Memória
Todas as páginas

A Casa do Passal foi construída no século XIX, na Quinta de São Cristóvão, em Cabanas de Viriato, e herdada por Angelina de Sousa Mendes. Na década de 1920, foi reconstruída e aumentada pelo casal para albergar a sua grande família de 14 filhos, embora servisse sobretudo como residência de férias. Trata-se de um grande edifício, em alvenaria e madeira, com mais de 1000m2 distribuído por 3 pisos. Separada da casa, fica a garagem que servia para albergar o autocarro, transformado em carro de família, o “expresso dos Montes Hermínios”.

 

A classificação como Monumento Nacional

Num processo encetado em 2005, a Casa do Passal, localizada na Quinta de São Cristóvão, na freguesia de Cabanas de Viriato, concelho de Carregal do Sal, foi classificada como Monumento Nacional, conforme  Decreto n.º 16/2011 de 25 de Maio, publicado no Diário da República, 1.ª série — N.º 101 — 25 de Maio de 2011.

“Trata -se de um palacete cuja arquitectura, de inspiração francesa, se insere no gosto das beaux-arts do segundo império, estilo característico dos finais do século XIX e que se destaca não só pelo eclectismo da arquitectura e pela imponência da fachada principal, mas principalmente pela memória do cônsul que a habitou e que sacrificou os interesses pessoais em prol dos refugiados do holocausto.

Aristides de Sousa Mendes ocupava o lugar de cônsul de Portugal em Bordéus quando, no decorrer da Segunda Guerra Mundial, passou vistos a milhares de refugiados, permitindo-lhes fugir e sobreviver às perseguições de que eram objecto, tendo, inclusivamente, alguns desses refugiados sido albergados na Casa do Passal.

A atitude de Aristides de Sousa Mendes, que salvou várias vidas, ditou-lhe também o fim da carreira diplomática, facto que teve um custo pessoal muito elevado, e que o deixou, em conjunto com a sua numerosa família, em péssima situação económica.

A relevância deste imóvel a nível nacional, não só em termos arquitectónicos mas também histórico-sociais, faz dele um lugar de memória, justificando-se, assim, a sua integral salvaguarda.”

Consulte aqui a documentação relativa ao Concurso Públcio de conceção para a elaboração do projeto de requalificação e musealização da Casa do Passal.


..

registo de inventário

Fonte: http://www.monumentos.pt


O projecto da casa de Aristides de Sousa Mendes consiste em  restaurar  e adaptar a casa às novas funções de museu e centro de memória.  O projecto de investimento custará cerca de 3.000.000€  e levara cerca de 3 anos a elaborar, aprovar e executar.

Havendo a intenção de inaugurar o museu até 2014, no 60º aniversário da morte de Aristides de Sousa Mendes, isto representa um  calendário bastante ambicioso.

O financiamento do projecto de recuperação da Casa de Aristides de Sousa Mendes e da criação e exploração de um museu e cento de memória vai necessitar da conjugação de financiamento de diversas fontes, nomeadamente de fundos públicos e de donativos provenientes de mecenas nacionais e internacionais.

...

A musealização

A Casa de Aristides de Sousa Mendes irá albergar um museu e centro de memória para celebrar e divulgar o seu Acto de Consciência no contexto da Segunda Guerra Mundial e do Holocausto.

A Casa do Passal está situada num local privilegiado em Cabanas de Viriato, numa encosta soalheira virada a nascente para a Serra da Estrela, os Montes Hermínios. O sítio, que já é muito visitado, convida-nos a reflectir sobre a Consciência e a força de um Homem só quando movido pelo altruísmo e pela coragem das suas convicções. O contacto com a memória viva de Sousa Mendes e grande história do seu Acto de Consciência que deu vida a tantas famílias,  também nos ajuda a reforçar a confiança que a história reconhece os Bons, mais cedo ou mais tarde.

Pela força da história de Sousa Mendes, a Casa do Passal já é um local de visita obrigatória. No futuro, o museu e centro de memória vai oferecer aos visitantes uma experiência marcante no contacto directo com a figura incomparável que foi  Aristides de Sousa Mendes. 

O futuro centro de memória permitir-nos-á-á reviver uma das grandes histórias do século XX, a figura incomparável de Aristides de Sousa Mendes, o seu extraordinário Acto de Consciência, o drama da Guerra, dos Refugiados e perseguidos, e também o papel especial de Portugal no  Caminho da Liberdade.

Ao registar, preservar, vivificar, e até mesmo reviver  este grande momento da história europeia e mundial, com todos os seus ensinamentos, a visita marcante à Casa de Sousa Mendes vai permitir   aos  visitantes, especialmente às crianças, experimentar o desespero dos perseguidos, a gratidão dos resgatados  e a caridade dos altruístas.  Assim,  a Casa de Sousa Mendes será um “lugar de memórias do futuro”, em que cada visitante vai ficar mais comprometido com a paz e a tolerância, e em que sinta reforçadas a sua coragem e consciência.

A Casa do Passal tornar-se-á eventualmente um polo de atracção cultural e turística na região Centro. Cabanas de Viriato fica, afinal, a escassos 30km  a sul de Viseu, a 45 a nordeste  km de Coimbra, e a 120 km a sudoeste de Vilar Formoso, na fronteira com Espanha, que os refugiados tanto desejavam transpor em 1940.

ver  Programa museológico para a Casa do Passal em preparação


Na expectativa de conseguir readquirir espólio pertencente à Casa do Passal e que irá fazer parte do futuro museu, a Fundação ASM pede a colaboração de todas as pessoas no sentido da sua recuperação.

Não deixe de nos contactar para: Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar



A recuperação da Casa de Aristides de Sousa Mendes, bem como a criação e exploração de um museu e centro de memória, exigirão um financiamento diversificado, incluindo donativos provenientes de mecenas nacionais e internacionais.

A Fundação Aristides de Sousa Mendes é uma fundação de capitais maioritariamente públicos abrangida pelo Lei do Mecenato.

Agradecem-se os donativos, que podem ser feitos por transferência bancária (favor ver detalhes bancários abaixo), ou através do sistema de pagamento Pay Pal.

Para mais informações, e para solicitar recibo, favor contactar: Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar

Titular: Fundação Aristides de Sousa Mendes
Banco: Caixa de Crédito Agrícola, Cabanas de Viriato
NIB: 0045 3321 4018 5666 95578
IBAN: PT50 0045 3321 4018 5666 95578
BICSWIFT: CCCMPTPL

NIF: 504 901 052




O programa museológico detalhado para a Casa de Aristides de Sousa Mendes
Centro de Memóriaestá ainda em vias de preparação, estando já definidos alguns dos seus elementos básicos. O futuro centro de memória permitir-nos-á reviver uma das grandes histórias do século XX, implicando a figura incomparável de Aristides de Sousa Mendes e o seu extraordinário Acto de Consciência, o drama da Guerra e dos refugiados e dos perseguidos e o papel especial de Portugal no caminho da Liberdade.

Uma vez que pouco do recheio sobreviveu à desgraça que atingiu a família Sousa Mendes e ao leilão de credores, as exposições deverão aproveitar mais a extensa documentação disponível sobre os vistos e a lista de refugiados e as suas histórias como sobreviventes do holocausto.

Os potenciais circuitos museológicos poderão incluir os seguintes elementos:

- A guerra, os refugiados (judeus e não só), a fuga, os vistos, os sobreviventes e seus descendentes, o Acto de Consciência de Sousa Mendes, no enquadramento histórico da guerra e do holocausto na Europa;

- Sousa Mendes, o Homem, o Diplomata e o Estadista – do acto de coragem ao castigo e ao posterior reconhecimento;

- Sousa Mendes como Justo entre as Nações e o fenómeno dos diplomatas e outros salvadores.

Ao registar, preservar e até mesmo reviver este grande momento histórico, a visita tornar-se-á uma experiência marcante pois através dela acompanhar-se-á o desespero dos perseguidos, a gratidão dos resgatados e a caridade dos altruístas. Assim, a Casa de Sousa Mendes será um “lugar de memórias do futuro”, em que cada visitante ficará mais comprometido com a paz e com a tolerância, reforçando a sua coragem e a sua consciência.

Adicionalmente, a Casa de Aristides de Sousa Mendes terá um programa activo de parcerias e de  intercâmbio com outros sítios da consciência, outros centros de memória do holocausto e outros centros de estudo da tolerância e direitos humanos, tornando-se a principal presença destas redes culturais em Portugal.

Em termos de funcionamento, a Casa de Aristides de Sousa Mendes deverá tornar-se um local de visita obrigatória, na região do Dão, no Centro de Portugal, rica em história, gastronomia e paisagem. A sua localização em Cabanas de Viriato, concelho de Carregal do Sal, a cerca de duas horas e meia de viagem de Lisboa, será um convite aos visitantes para  pernoitarem na região, aproveitando a oportunidade para visitar outros lugares. Prevê-se a visita frequente de grupos escolares e de excursões turísticas, inclusive de judeus e outros visitantes estrangeiros.

A Casa do Passal tornar-se-á eventualmente um polo de atracção cultural e turística na região Centro, dado que Cabanas de Viriato fica, afinal, a escassos 30km de Viseu, a 45 km de Coimbra e a 120 km da fronteira de Vilar Formoso, que os refugiados tanto desejavam transpor, em 1940.