Fundação Aristides de Sousa Mendes

  • Aumentar o tamanho da fonte
  • Tamanho padrão da fonte
  • Diminuir tamanho da fonte
Atenção
  • EU e-Privacy Directive

    This website uses cookies to manage authentication, navigation, and other functions. By using our website, you agree that we can place these types of cookies on your device.

Home Fundação

FASM - Orçamentos Anuais

Indíce do artigo
FASM
Missão
Objectivos
Plano de Actividades
Código de Conduta
Orçamentos Anuais
Estatutos
Órgãos
Ligações
Todas as páginas

Relatórios e Contas da Fundação Aristides de Sousa Mendes

Consulte aqui os documentos

Introdução ao Orçamento para o ano de 2013 -FASM

ver pdf

O documento que ora se apresenta, para análise e votação, resulta de um exercício clássico em matéria orçamental: previsão de receitas e uma tangível aferição da despesa/custos (fixos e variáveis). Assim o superavit orçamental resulta obviamente de uma aferição optimista - que queremos se substantive - do arrecadar de donativos e da prestação de serviços, concretamente royalties, garantindo-se deste modo interessantes níveis de sustentabilidade. É óbvio que neste cenário foi levada em conta a generosidade dos órgãos sociais da FASM, que seguramente começarão a efectuar os seus donativos contribuindo, assim, para o supra-aludido superavit.

Sublinhe-se que os royalties que estão a ser negociados - concretizando-se - resultarão num acréscimo de notoriedade da FASM, banalizando pela positiva a nossa instituição, tornando-a conhecida requerida e presente.

O documento orçamental em apreço pode, também, como se infere, ser revisto, actualizado, alterado em função de contextos organizacionais/sociais e económicos que se venham a colocar, devendo manter imperativos de sustentabilidade. Acresce, a tudo o que foi dito, que no que toca à rubrica prestação de serviços será possível, durante o 1º trimestre de 2013, ter uma noção mais clara do seu grau de concretização. Quanto às verbas do investimento /Casa do Passal, estas resultam de uma certeza falada de financiamento (DRCC/CCDRC) que, nesta 1ª fase, pode não passar pela administração da FASM, contudo, de forma cautelar, procedeu-se à sua inscrição.

As restantes rubricas orçamentais decorrem basicamente das necessidades de funcionamento, não merecendo estas nenhuma menção especial.

Dados referentes ao ano 2014:

Relatório e Contas 2014

Parecer do Conselho Fiscal da FASM

Dados referentes ao ano 2013:
Relatório e Contas 2013

Dados referentes ao ano 2012:
Balancete Geral 2012

Relatório e Contas 2012

Parecer do Conselho Fiscal